Mobility Show São Paulo

O Instituto Humanus e a Design Universal estiveram presentes em mais uma edição da Mobility Show São Paulo e mal acabou este evento, que foi um sucesso de público e negócios, já estamos nos preparando para Goiânia que ocorrerá no final de novembro, início de dezembro. Gostaríamos de agradecer a todos os nossos associados, parceiros e colaboradores, afinal sem a presença e dedicação dos mesmos não teríamos alcançado o êxito esperado.  Mobility Goiânia, já estamos com as malas prontas.

Fórum de Marketing Assistivo reúne autoridades em SP

Assuntos abordados podem atingir até 45 milhões de consumidores

Aconteceu no dia 9 de novembro, no Auditório Franco Montoro da Secretaria de Estado do Deficiente, em São Paulo, o primeiro Fórum de Marketing Assistivo, organizado pelo Instituto Humanus.

Temas como aspectos jurídicos e legislação, gestão de pessoas e empregabilidade, aspectos dos benefícios para o idoso, as necessidades especiais para as pessoas com sobrepeso e, em especial, a importância do marketing para mais de 45 milhões de consumidores – público estimado para esses segmentos – foram os temas abordados durante o evento.

Dentre as autoridades recebidas, estiveram Mara Gabrilli, primeira senadora da República que vai representar o deficiente em Brasília e também na ONU, além de Arnaldo Faria de Sá, deputado conhecido por defender a causa dos idosos, que apresentou seus projetos para esse público, bem como a secretária Linamara Rizzo Batisltella, anfitriã do evento.

1º Fórum de Marketing Assistivo

Evento discute como empresas podem atender melhor idosos, obesos e pessoas com deficiência

O 1º Fórum Marketing Assistivo, evento que discutirá os desafios das empresas em atender melhor pessoas com deficiência, idosos e obesos, acontece na próxima sexta-feira, dia 9 de novembro, no auditório Franco Montoro da Secretaria de Estado das Pessoas com Deficiência de São Paulo.

O evento, organizado pelo Instituto Humanus conta com o apoio de Linamara Rizzo Batistella, secretária de Estado, e toda a sua equipe, além da presença de Mara Gabrilli, senadora recém-eleita por São Paulo, bem como autoridades municipais, estaduais e federais.

O evento é indicado para quem trabalha, serve ou atende a esse público e tem interesse em conhecer melhor o mercado consumidor composto pelo idoso, o deficiente e o obeso.

Especialistas em gestão de pessoas, relacionamento funcional, legislação, arquitetura e construção, bem como do próprio marketing assistivo, discutirão as melhores ferramentas e a melhor orientação ao empresário sobre como atender um mercado consumidor que hoje reúne mais de 45 milhões de brasileiros e que tende a crescer exponencialmente nos próximos anos.

Você sabe o que é Marketing Assistivo???

“Pessoas com deficiência, idosos e pessoas com obesidade são clientes que precisam de recursos específicos”, afirma o presidente do Instituto Humanus, pensando nisso no café desta semana recebo Rodolfo Sonnewend que vai esclarecer sobre esta ferramenta que vai impactar a economia brasileira!!!

SP recebe o primeiro fórum de marketing assistivo do mundo

Luiz Alexandre Souza Ventura

“Pessoas com deficiência, idosos e pessoas com obesidade são clientes que precisam de recursos específicos”, afirma o presidente do Instituto Humanus, entidade que promove no próximo dia 9 de novembro, em São Paulo, o ‘1º Fórum de Marketing Assistivo’. “O desenvolvimento de soluções, produtos e serviços deve contemplar a totalidade dos usuários”, diz Rodolfo Sonnewend. Encontro vai reunir especialistas em Arquitetura Assistiva, Direito Assistivo, Coaching Atitudinal Assistivo, Propaganda, Comunicação e Publicidade Assistivos.

IMAGEM 01:

IMAGEM 01: “Pessoas com deficiência, idosos e pessoas com obesidade são clientes que precisam de recursos específicos”, afirma o presidente do Instituto Humanus, entidade que promove no próximo dia 9 de novembro, em São Paulo, o ‘1º Fórum de Marketing Assistivo’. “O desenvolvimento de soluções, produtos e serviços deve contemplar a totalidade dos usuários”, diz Rodolfo Sonnewend. Encontro vai reunir especialistas em Arquitetura Assistiva, Direito Assistivo, Coaching Atitudinal Assistivo, Propaganda, Comunicação e Publicidade Assistivos. Descrição #pracegover: Jovem em cadeira de rodas está no corredor de um supermercado. Ele estica o braço direito para cima e pega um pacote de café na prateleira, que tem vários produtos semelhantes. O rapaz é magro, veste camisa azul clara e usa óculos. Crédito: Reprodução.


 

No marketing tradicional, produtos e serviços são desenvolvidos para a maioria das pessoas. Mas quem faz parte da maioria? Foi a partir dessa questão que o engenheiro, administrador, publicitário, profissional de marketing e jornalista Rodolfo Sonnewend, CEO da agência Design Universal e presidente do Instituto Humanus, deu início ao conceito que hoje é chamado de marketing assistivo.

“O objetivo é atender ao maior universo de diferenças entre os clientes, procurando dar acessibilidade física e de conteúdo para todos, por meio da reorientação, reengenharia e outros processos, com os mais variados produtos e serviços”, explica Sonnewend.

 

“Uma simples arrumação ou disposição de produtos na prateleira de um supermercado, atendendo a NBR 9050 da ABNT, permite ao cadeirante ter acesso aos produtos, seja qual for a altura ou disposição, sem auxílio de ninguém”, diz o especialista.

“Sabemos que, se conseguirmos atender às diferenças, todos indivíduos da população estarão bem supridos. Uma bula de remédio com uma tipologia maior, rampas de acessos aos ambientes, barras nos banheiros, produtos armazenados nos supermercados segundo as diretivas da ABNT, e muito mais, contribuem para melhor qualidade de vida de todos os cidadãos, independentemente de suas diferenças”, defende.



A acessibilidade tomou outra importância para Rodolfo Sonnewend em 2010, quando ele sofreu um acidente e precisou usar cadeira de rodas durante um ano. Atualmente, se locomove com o apoio de uma bengala.

“Começou pela acessibilidade física, mas depois, como sou jornalista, comecei a perceber que o acesso às informações também era complicado. Fui ao Instituto Dorina Nowill e lá tive a iluminação de que poderíamos criar acessibilidade para tornar os processos mais eficientes. Também tive apoio de uma grande amiga, Marta Machado (que trabalhou na AACD e na Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo), que me ajudou a entender a legislação e a decodificar esse mercado. Hoje, ela é diretora do Instituto Humanus”, conta o presidente do instituto.

Sonnewend destaca as diversas legislações para pessoas com deficiência, como a Lei Brasileira de Inclusão (nº 13.146/2015) e a Lei de Cotas (nº 8.213/1991), além do Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003) e do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/1990). “Está em trâmite na Câmara o Projeto de Lei (PL) 4.328/16, que cria o Estatuto da Pessoa com Obesidade“, ressalta.

“A essência do nosso projeto está no design universal, amparado em sete pilares estruturais. Essa temática era abordada apenas na engenharia e o Instituto Humanus converte esses pilares para a comunicação e o marketing, com a criação do design universal comunicacional”, explica.



Na prática, o mundo do consumo tem referências do ser humano universal – pessoa destra, com 1.73m de altura, 75 kg peso e pés entre os tamanhos 35 e 39. Sendo assim, quase todos os produtos e serviços são construídos para este tipo de pessoa.

“Pense no exemplo de uma tesoura para canhotos. Aplicando o design universal, essa tesoura tem cabo invertido na área de corte, transformando em uma tesoura multiuso, para destros e canhotos. Transferindo para a comunicação, no caso da internet, temos os protocolos inclusivos (W3C e WCGA), que alteram o código dos websites, gerando conformidade com a acessibilidade para cegos e surdos”, diz.

O publicitário explica ainda que o design universal comunicacional, na publicidade, torna a comunicação acessível para todos.



FÓRUM – Todos os detalhes sobre esse novo conceito e suas diversas formas de aplicação serão explicados e debatidos no dia 9 de novembro (sexta-feira), durante o ‘1º Fórum de Marketing Assistivo’, evento inédito em todo o mundo, organizado pelo Instituto Humanus na sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) de São Paulo, que fica na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, nº 564, portão 10, na Barra Funda, em São Paulo.

Participam especialistas em Arquitetura Assistiva, Direito Assistivo, Coaching Atitudinal Assistivo, Propaganda, Comunicação e Publicidade Assistivos.

“O público da diversidade assistiva é consumidor e, assim sendo, merece tratamento como tal, com soluções de acessibilidade para inclusão dia a dia”, completa Rodolfo Sonnewend.

Um mercado que movimenta mais de 90 bilhões de reais ao ano.

Design Universal 05

Criar soluções em marketing e comunicação absolutamente diferenciadas e inovadoras para o mercado”, foi com este conceito que nasceu, em abril de 2008, a Arquitetos da Criatividade Publicidade e Propaganda. Fundada por Rodolfo Sonnewend, um profissional de comunicação e marketing com muitos neurônios de inventor, criativo e desenvolvedor de novos negócios; a empresa sempre aplicou este “toque especial” nos seus projetos de pesquisas de mercado, campanhas publicitárias, planejamento de mídia, ações de merchandising, promoção, campanhas de endomarketing, incentive, estratégicas de Inbound marketing, marketing digital, processos de treinamento, branding e comunicação visual.

A vontade de criar novos mercados e negócios sempre fez parte do DNA da Arquitetos, pois desde 1991, quando o seu fundador participou diretamente com o saudoso – Renato Reis Barbosa, no projeto de criação da Tele Sena – um dos maiores cases de sucesso do mercado financeiro de Títulos de Capitalização, toda esta experiência provocou uma intensa mudança na sua forma de ver o mundo dos negócios. Anos mais tarde, outras tantas experiências enriqueceram ainda mais este cenário como: o seu projeto de estruturação dos processos das operações de Crédito Consignado Veicular; a criação e implantação de alguns modelos de shopping para veículos seminovos; desenvolvimento e implantação do conceito de feirões para venda de veículos novos e seminovos; estruturação e implantação do conceito de e-commerce (B2B); da revolução dos processos de desenvolvimento da Comunicação Técnica no Brasil; da estruturação das bases conceituais para a criação do sistema de Comunicação Jornalística Mobile (Selfie Notícias); do planejamento estratégico para a criação do cartão de relacionamento “Animal Card”; enfim, tantos outros projetos e propostas inovadoras, nos mais variados segmentos de mercado e que hoje mudaram o dia a dia dos consumidores brasileiros.

Em meados de 2017, para comemorar o seu décimo aniversário de vida no próximo ano, a Arquitetos iniciou algumas pesquisas de mercado com o objetivo de desenvolver um novo planejamento estratégico comercial e implantar uma mudança em suas atividades, pois a empresa estava decidida a não ser apenas mais uma prestadora de serviços para o mercado de comunicação e marketing.

Afinal, em um cenário fortemente afetado pelas crises política e econômica; um mercado cada vez mais competitivo com o ingresso de uma quantidade imensa de novos prestadores de serviços oriundos do desemprego e da mudança nas relações trabalhistas; de um ambiente produtivo constantemente modificado pela implantação de soluções em mídia digital; além de muitas outras contingências transformadoras que, cada vez mais, estão contribuindo para levar a maioria das agências e até o próprio conceito de propaganda a perder espaço e a relevância que tinham; percebeu-se que havia chegado o momento de mudar!

Depois do seu acidente em 2010, Rodolfo Sonnewend percebeu que om mercado das pessoas com deficiência estava desabastecido de soluções inovadoras e diferenciadas em comunicação e marketing. Assim, ele estruturou, entre um trabalho e outro, os conceitos que criariam uma agência de publicidade exclusiva para o público PCD, um mercado com mais de 90 bilhões de reais ao ano em ticket médio de consumo e, ainda segundo o Censo de 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 24% da população brasileira é composta por pessoas que possuem algum tipo de deficiência. Isto nos remete a aproximadamente 45 milhões de brasileiros, só para uma simples comparação: estamos falando de 97% da população de toda a Espanha.

Neste caso, é importante salientar que para cada conquista de um PCD, a empresa ainda leva de brinde sua família e amigos, que passam a fidelizar o seu produto e/ou serviço pelo respeito que sua empresa demonstrou com aquela pessoa tão carente nos processos de atendimento, de maneira geral.

Sem dúvidas, este é um mercado altamente potencial, apesar de existir um paradigma de que a maioria das pessoas com deficiência são pobres. Isto está completamente errado, pois este universo de consumidores potenciais está dividido em: 42% pertencentes às classes A e B e 44% estão inseridos na classe C; além de terem uma renda mensal média de R$ 1.790,00. Vale também dizer que aproximadamente 63.4% das pessoas com deficiência tem deficiência adquirida, então é impossível para quem é rico, ficar pobre por apenas se tornar uma pessoa com deficiência.

Mas a falta de interesse pelo empresariado, de maneira geral, ficou clara durante um estudo promovido pela ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos) ,em 2015, sobre a Lei de Cotas, que já existe há 21 anos. Os resultados são alarmantes, sendo que 67% dos entrevistados afirmaram, de forma reservada, possuírem resistência para entrevistar ou contratar pessoas com deficiência, já 88% dizem que sentem falta de informações sobre as maneiras de aplicar a inclusão delas no mercado de trabalho. E, ainda 86% dos entrevistados declararam que a contratação ocorre apenas para cumprir a lei de cotas, sendo que apenas 3% acreditam no potencial e somente 2% estão no processo por valorizar a diversidade PCD. Há uma verdadeira falta de visibilidade e tato frente a este potencial mercado, além de um desconhecimento de estratégias de endomarketing – esta ciência do marketing demonstra que antes dos consumidores, as empresas precisam atender bem aos seus colaboradores na arte do convencimento do consumo de seus produtos e serviços.

Mas, uma coisa é certa: esta percepção de mundo já está em processo de mudança! Em 2017, o programa da Globo News “Mundo SA” apresentou os produtos e serviços voltados para as pessoas com deficiência que, no mundo, já movimenta mais de 1 bilhão de dólares ao mês. Sendo eles, o Hand Talk que faz a tradução do português para Libras; o Livox para comunicação com pessoas com paralisia cerebral; o Be My Wyes que conecta cegos com milhares de voluntários que aceitam a “emprestar a sua visão” para eles e a empresa de audiolivros Ubook. Recentemente, a loja virtual do Magazine Luiza passou a utilizar a solução do Hand Talk para se comunicar com os seus clientes com deficiência auditiva no seu e-commerce e ainda existe o exemplo do Bradesco, que há muito tempo já desenvolve estudos de comunicação com o público PCD e em Maio de 2018, participou em conjunto com a Secretaria da Acessibilidade da Prefeitura do Município de São Paulo, da criação do selo de acessibilidade digital para a web.

No início de 2017, a agência já vislumbrava uma nova direção para os negócios da Arquitetos da Criatividade. Em maio deste mesmo ano, a Arquitetos foi inscrita como potencial colaboradora para a criação do Instituto Humanus para pessoas com deficiências, uma OSC, sem fins lucrativos, que na época tinha como principal objetivo, estudar e aprimorar os canais de comunicação das pessoas com deficiências ao universo e vice e versa. Através do Instituto e a sua parceria com consagradas entidades do mercado especializadas nas mais variadas deficiências, a Arquitetos tomou contato com centenas de pessoas que certamente não tinham seus desejos de consumo atendidos plenamente pelo mercado fornecedor. Naquela mesma época, também se detectou que as pessoas idosas e obesas estavam inseridas no mesmo contexto.

No início de 2018, depois de muitas pesquisas junto a clientes potenciais e consumidores, percebeu-se que o termo deficiência para público final, gerava uma imagem mental não tão positiva para os empresários e, este era um dos grandes motivos pelo qual eles hesitavam em aproximar suas marcas deste público. Detectou-se também que as palavras obesos e idosos estavam na mesma situação de interpretação.

Os resultados destes estudos indicavam que se necessitava criar um termo diferenciado. Buscamos, então, inspiração na diversidade e foi através dela que afunilamos ainda mais o perfil dos nossos potenciais consumidores e chegamos ao conceito de Diversidade Assistiva, que passou a englobar os idosos, obesos e pessoas com deficiências na busca de soluções em acessibilidade que gere mobilidade de conhecimento através de processos de comunicação inclusiva. Criou-se também os temos Marketing Assistivo e Publicidade Assistiva para completar o cenário de geração de soluções em acessibilidade através da comunicação, propiciando assim a mobilidade de informações e a efetiva inclusão de novos indivíduos da diversidade assistiva junto ao mercado. Na mesma época, também se iniciou o processo de adequação do conceito de design universal, agora com uma inédita abordagem na comunicação e marketing. Meses mais tarde, este conceito iria se transformar no negócio que se chamava, até então, de Arquitetos PCD em Design Universal.

Vale lembrar que até aquele momento, o termo Design Universal,ou design para todos, desenvolvido na década de 70, pelo Norte Americano Ronald Mace (03.08.1942- 29.06.1998) era utilizado somente pela arquitetura e, estes princípios parametrizavam e criavam estruturas para concepção de projetos que atendessem às necessidades de todos os usuários. Passamos, então, ao registro de todas as marcas, criação dos conceitos e das novas metodologias com foco na comunicação, além da adequação de todo o processo para o marketing.

Enfim, é neste gigante universo de oportunidades que a agência vem trabalhando com uma abordagem completamente diferenciada, tecnológica e acima de tudo, humanista. As experiências construídas na parceria da Arquitetos com o Instituto Humanus, nos levou a conhecer a Marta Machado, atuante na Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência da Prefeitura da Cidade de São Paulo – onde se aposentou recentemente. Foi também através do Instituto que começamos a participar da ABRIDEF (Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva), conhecemos o fantástico trabalho da Fundação Dorina Nowill para cegos, capitaneada pela ex-primeira dama Dona Ika Fleury, e muitas outras entidade e trabalhos no setor da deficiência, ou seja, nos inseriu para uma experiência incomum neste mercado com gigantescas necessidades e desejos não atendidos.

A agência está, a cada dia, escrevendo um capítulo da história da comunicação inclusiva e criando aqui um novo mundo, novos conceitos, novas ferramentas, novas culturas ;enfim novas oportunidades de negócios.

Em resumo, a Desing Universal é uma agência pioneira, especializada no desenvolvimento de estratégias de Marketing, Comunicação e Publicidade assistivos com prioridade para o público consumidor (idosos, obesos e pessoas com deficiência).

Afinal, os perfis dos clientes vêm mudando com o passar do tempo. O processo de inclusão precisa, cada vez mais, estar presente na sua realidade corporativa; pois hoje tanto o consumidor final quanto o cliente corporativo tem a preocupação e o envolvimento com questões de sustentabilidade, impacto ambiental e social dos produtos e serviços consumidos. Hoje, também se tornou importante a composição e a valorização de suas equipes de trabalho, como a sua corporação aborda a diversidade e inclusão e, se a sua empresa converte estes valores em ações. Tudo isso valoriza e evidencia a imagem das corporações no mercado na hora do consumidor lembrar da sua marca.

Recentemente, uma pesquisa promovida pela Consultoria Edelman Earned Brand, divulgada no início de novembro de 2017, na Revista Época, revelou que 56% dos brasileiros dizem consumir ou boicotar marcas de acordo com o posicionamento delas diante de questões sociais relevantes.

Isto só reforça o nosso convite de que sua empresa precisa estar engajada nos nossos processos de marketing e publicidade assistivos para destacar as ações sociais de sua organização. Design Universal: uma nova proposta da Arquitetos da Criatividade para desenvolvimento de comunicação e marketing para um público que representa no Brasil mais que toda a população da Espanha. Aguardem novas publicações que vêm por aí.

Design Universal atende aos desejos da diversidade

Design Universal 19

Quando uma empresa procura uma agência de publicidade, ela pretende obter formas inovadoras e diferenciadas para expor seu produto ou serviço às pessoas; porém, nada além do que já é realizado pelas agências atualmente, é oferecido. O mercado está saturado e focado somente no famoso “arroz com feijão”, que é divulgar no impresso, internet e meios de comunicação de forma padrão, sem focar no público consumidor. Sim, a internet hoje é o maior e mais completo meio de comunicação e divulgação, que vem substituindo os demais pouco a pouco, mas falta algo mais, uma proximidade maior com o público alvo. É aí que surge a agência Design Universal!

Você já deve ter ouvido falar em design universal ou design para todos no quesito arquitetura e engenharia, adaptando as obras para todos os tipos de diversidade, como por exemplo: obesos, idosos e pessoas com deficiência. Sob esta abordagem, é visível o crescimento das adaptações, como: rampas de acesso, implantação de elevadores, ampliação de portas, cadeiras especiais para obesos e inclusão de sanitários para pessoas com deficiência, entre muitas outras soluções. Além de obras, o mercado está atento também para os produtos e serviços voltados para tal público. Afinal, de que adianta um supermercado ou shopping fornecer uma cadeira de rodas motorizadas para facilitar a locomoção de pessoas com deficiência, se as prateleiras continuam com acesso restrito? Lembrando de que o maior público dos supermercados é o idoso, aposentado, com dificuldade de locomoção, visão e acesso. Mas, até então, não existia esse conceito para a publicidade e comunicação. Além do termo Design Universal (comunicação para todos), a agência também criou e registrou outros termos relevantes que são: o Marketing Assistivo, a Publicidade Assistiva e a Diversidade Assistiva, sendo que esta última expressão passa a englobar o público consumidor de pessoas com deficiência, obesos e idosos.

A Design Universal surgiu de uma evolução da área de Novos Negócios da Arquitetos da Criatividade, uma agência com mais de 10 anos de mercado, pioneira em diversos cases inovadores de sucesso, como a criação da Tele Sena, Crédito Consignado Veicular, Sistema de Feirão de Veículos, entre muitos outros; também participando ativamente de todo o processo de implantação e divulgação. Desde abril de 2018, a Arquitetos (Design Universal) reposicionou sua atuação com foco nesse público que engloba hoje 24% da população, totalizando um potencial número de consumidores maior do que toda a população de um país como a Espanha. Quando você foca em tal público, não significa deixar de lado os outros 76% de brasileiros, mas dar igualdade entre todas as pessoas com as mesmas oportunidades de consumo. Então, nada mais justo que carregar o nome do conceito que está focada “Design Universal”, abrangendo toda população – Comunicação para Todos independente de suas diferenças e necessidades específicas.

Mesmo em alta, o termo ‘diversidade’ ainda é tratado com tato pelas empresas de marketing. As telenovelas já se voltaram para o assunto, incluindo diversos personagens com deficiência, mostrando um pouco do dia a dia do idoso, do obeso, falando sobre racismo e superação e homofobia. É nítida, mas ainda tímida essa crescente inserção do conceito nas mídias. A proposta da Design Universal é exatamente fortalecer e ampliar a visão de igualdade, mostrando ao público “o quão comum é ser diferente”. Além disso, os próprios empresários acabarão se adequando para o Marketing Assistivo e, consequentemente abrangendo todo o público que até, então, ficava à margem; dando a eles a oportunidade de se relacionar com o universo que os rodeia. Na hora de criar uma campanha, devemos entender que o diferencial está no fato da Design Universal levar em conta as capacidades e necessidades de todas as pessoas, sejam elas físicas, cognitivas, sensoriais ou alimentares e de poder contar com seu time de colaboradores de um grande número de pessoas da Diversidade Assistiva, completamente familiarizados com suas necessidades e desejos do dia a dia.

A proposta da agência pioneira é oferecer soluções diferenciadas e abrangentes, como uma ampla pesquisa para lançamento de produtos e serviços com público da Diversidade Assistiva; criação de estratégias em Marketing e Publicidade Assistivos; consultoria e desenvolvimento de tecnologia e canais de Comunicação Assistivos; assessoria de imprensa voltada para a inclusão social; desenvolvimento e soluções em tecnologia assistiva, inbound e outbound assistivos; enfim, tudo que o mercado precisa para atender a este potencial público consumidor.

As pessoas, em especial os empresários, precisam se atentar para essas necessidades sociais, que estão aí implícitas, mas sem foco. É muito mais inteligente abranger um público consumidor cada vez maior e, consequentemente, ter uma geração de lucros crescentes. A Design Universal tem esse desafio de englobar toda essa diversidade em um único público alvo, que trará cada vez mais visibilidade e crescimento para as empresas que acreditarem no futuro, que já está diante de seus olhos.

Instituto Humanus: inclusão social a um passo de se tornar realidade

Design Universal 20
Quando o tema é acessibilidade ou inclusão, não existem muitas referências a se buscar. Sem referências e, muitas vezes, sem a devida atenção por parte de órgãos públicos, o assunto é pouco explorado e divulgado. Para atender esta lacuna de necessidades, surgiu o Instituto Humanus, uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos com o objetivo de estimular o desenvolvimento da inclusão por meio de soluções em mobilidade e acessibilidade assistiva. O público foco do Instituto são as pessoas que fazem parte da Diversidade Assistiva, ou seja, idosos, obesos e pessoas com deficiência – que necessitam de alguma tecnologia assistiva, seja ela analógica ou digital para realizar suas tarefas do dia a dia. Desde o uso de tesouras para canhotos até modernos aplicativos com soluções em tecnologia assistiva, a Humanus está focada em estratégias de marketing assistivo e ações de design universal, temas a serem desenvolvidos e que venham ao encontro da gama de trabalhos do Instituto. Diferente dos demais institutos, o Humanus não está focado em receber doações e apoio financeiro, mas promover ações estratégicas que objetivam inserir no cotidiano da população, em geral, a necessidade de inclusão das pessoas do universo da diversidade assistiva (obesos, idosos e pessoas com deficiências). Esse é o desejo do Instituto Humanus: tornar o design universal comunicacional uma realidade, sem distinção, sem separações, apenas transformar o padrão de hoje comum para todas as pessoas. Essa ideia vem sendo trabalhada por meio de muita pesquisa e apoio de instituições renomadas como: Abridef (Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva), Fundação Dorina Nowill para cegos e Instituto Mara Gabrilli; unindo forças para que o sonho comum se torne realidade. O presidente eleito para a atual gestão do Instituto Humanus, Rodolfo Sonnewend, sentiu a necessidade dessa mudança na pele. Após um acidente doméstico, tornou-se uma pessoa deficiente com limitação de movimentos nas pernas; percebendo dia a dia a dificuldade enfrentada não só pelos deficientes, mas também por obesos, idosos e toda a parcela da população que possui dificuldade de locomoção e comunicação. Com seu estudo e conhecimento, notou que poderia também ajudar milhares de pessoas a melhorar sua qualidade de vida com as mesmas oportunidades e facilidades de comunicação para todos. Baseado nos termos Marketing Assistivo, Diversidade Assistiva e Design universal, o Instituto Humanus criou uma estrutura completa com soluções diversas para o público deficiente. Dentro de um cronograma explicativo, existem as ‘Soluções Assistivas’, que abrangem temas importantes como: a oportunidade de viajar com a acessibilidade necessária para todo o conforto e aproveitamento do turista com necessidades especiais; a isenção de IPI e IPVA para pessoas com deficiência de que necessitem de um veículo próprio para locomoção. Esse é um direito que muitos desconhecem. Pouco divulgado, as empresas possuem uma cota de vagas para os deficientes, uma oportunidade de reinserção no mercado de trabalho. Muitas outras ações compreendem o tema Soluções Assistivas. Pensando também na divulgação e compreensão desses benefícios e oportunidades bem como a conscientização geral, o Instituto também está trabalhando o tema ‘Publicidade Assistiva’ com ações estratégicas de comunicação e marketing através de sua agência Design Universal. Paralelo a Publicidade, surge o ‘Coaching Assistivo’, que visa trabalhar a sensibilização das pessoas que não possuem nenhum tipo de deficiência, perante aos demais bem como trabalhar a mente da pessoa com deficiência para que ela perceba que é parte integrante da sociedade com direitos, deveres e oportunidades iguais. Por fim, o Instituto também está aprimorando diversos conceitos sobre a ‘Arquitetura Assistiva’, tema mais conhecido pela população em geral com os processos de arquitetura focada em acessibilidade. O diferencial do tema criado pelo Humanus é a sua abrangência e conscientização para o Design Universal, que visa a acessibilidade geral. Desta forma, não seria necessário criar ambientes especiais para pessoas com deficiência, já que todos os ambientes já seriam desenvolvidos para todos, no geral, sem distinção. Isso é inclusão! Com foco total nesses objetivos, o Instituto Humanus busca novos parceiros e associados para fortalecer ainda mais os quatro pilares: soluções, publicidade, coaching e arquitetura. Empresas, instituições e pessoas que acreditam e lutam por uma sociedade igualitária, sem preconceitos, distinção e mais humana. Acesse o site do Instituto e conheça um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido e os conceitos criados: www.institutohumanus.com.br. Junte-se à causa do Instituto Humanos e faça a diferença no mundo.